Conhecendo a Caverna do Maroaga

img_20161115_101618438A Caverna do Maroaga fica em Presidente Figueiredo (a terra das cachoeiras no Norte do país!), no Amazonas, a cerca de uma hora de carro de Manaus. São 107 Km de distância da capital e mais de cem quedas d’água catalogadas pelo Ministério do Turismo.

Percorrer o interior da caverna é uma experiencia única! Pés descalços e passos em direção ao escuro… Logo a entrada se amplia em túneis e galerias – corredores que levam a pontos diferentes no interior da terra. Um olhar para o alto, e com a ajuda da lanterna, da para conferir os seres que são os donos desta casa: aranhas, alguns insetos, morcegos… A gente é só um serzinho desorientado e curioso. 🙂

img_20161115_100201527

15306074_377511902586247_1658200166185828352_n1

img_20161115_100716135

A Caverna do Maroaga fica dentro de uma área de proteção ambiental, às margens da BR-174, rodovia que liga Manaus/Amazonas a Boa Vista/Roraima. A visitação só é permitida com o acompanhamento de guia, que pode ser contratado na entrada da unidade ou no Centro de Atendimento ao Turista, no centro de Presidente Figueiredo. A trilha é leve, mas tem algumas subidas e descidas íngremes. Durante todo o percurso o guia vai falando sobre as árvores da floresta e curiosidades do lugar.

img_20161115_102447650

Um dos relatos mais intensos é sobre os desentendimentos entre governo e população indígena da região durante as obras de construção da BR-174, na década de 1970. O cacique Maroaga teria se escondido na caverna e liderado os índios Waimiri-Atroari a resistir a abertura da estrada, que passa por dentro da terra indígena. Num ataque ao acampamento dos militares do Exército que trabalhavam na obra os índios teriam esquartejado as vítimas e espalhado partes dos corpos entre as árvores da região…

Chocante. Bom que a maior parte do tempo a conversa gira em torno das caracteríticas das plantas, uso medicinal e cosmético pelos indígenas, povo ribeirinho e indústria internacional. Ah! E claro que a paisagem e os sons da floresta fazem desaparecer rapidinho qualquer mal estar histórico ainda mal explicado pelas autoridades.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*