WWF inova e lança estratégia de longo prazo para Hora do Planeta

Hora do PlanetaPode ir se planejando. E já coloque na agenda! Na próxima semana, dia 24 de março, entre 20h30 e 21h30, dedique 60 minutos do seu dia para repensar ações em defesa da vida na Terra. A Hora do Planeta promove um apagão voluntário ao redor do mundo a partir da mobilização do WWF, organização não governamental dedicada à conservação da natureza. A ação incentiva que entidades, empresas e pessoas desliguem as luzes por uma hora. A partir desta edição, e até 2020, a campanha tem foco na relação entre as mudanças climáticas e a importância da biodiversidade. #ConectadoNoPlaneta é a hashtag da vez.

Marco Lambertini WWF
“Biodiversidade e natureza sustentam nossas vidas, nossas economias, nossa saúde, nosso bem-estar, nossa felicidade. É o alicerce do nosso planeta vivo. Estamos empurrando o planeta e seus sistemas naturais até o limite. A Hora do Planeta é nossa chance de usar nosso poder, como indivíduos e como um coletivo, para exigir e agir em prol da proteção deste planeta como recompensa a tudo que nos dá”. Marco Lambertini, diretor-geral do WWF Internacional.

A Hora do Planeta ocorreu pela primeira vez em 2007, na cidade de Sydney, Austrália, como um evento simbólico de apagar as luzes. Uma década depois, em 2017, houve ações nos sete continentes, com adesões em 187 países e territórios, e mais de 3.000 monumentos apagados. No Brasil, a mobilização envolveu 250 mil pessoas em 145 cidades, com o desligamento das luzes de 600 monumentos .

André Nahur WWF Brasil
“Não é preciso ir longe para ver os efeitos. No Brasil, as mudanças climáticas terão efeito em espécies importantes para a cultura e economia nacional, como o pequi ou o café, que poderão sofrer uma drástica perda na produção”. André Nahur, coordenador do Programa Mudanças Climáticas e Energia do WWF-Brasil

Participe e registre

Um jeito de participar de forma mais efetiva é registrar os planos para a data. Basta acessar o site oficial e consultar as ações recomendadas pelo WWF-Brasil.

Hora_do_Planeta2018
Guia traz dicas do que fazer durante Hora do Planeta.

Também tem o Guia para Começar na Hora do Planeta: um material simples, com dicas do que fazer na fase prévia ao evento e durante os 60 minutos principais. Todos os eventos cadastrados vão compor o Mapa da Hora, que ficará disponível para consultas e orientação para participação. Na seção Conecte-se e Inspire-se, histórias de pessoas que vem fazendo diferença ano a ano na Hora do Planeta. Os próprios internautas podem sugerir amigos, parentes ou conhecidos que se encaixem na descrição #ConectadoNoPlaneta.

Mauricio Voivodic WWF Brasil
“Este é um momento crítico. Queremos aproveitar o movimento que a Hora do Planeta gera para que cada um de nós e cada ator da sociedade possa ajudar a reduzir os efeitos das mudanças climáticas e os impactos à biodiversidade”. Mauricio Voivodic, Diretor Executivo do WWF-Brasil.

Luau do Planeta

parque-malwee-hora do planeta
O Parque Malwee recebe mais de 100 mil visitantes por ano. Foto: Instagram/Grupo Malwee

No ano em que completa 40 anos, o Parque Malwee, um dos principais cartões postais de Santa Catarina, em Jaraguá do Sul, o primeiro Luau do Planeta no sábado, dia 24 de março, das 19h às 22h. Em torno de mil pessoas devem participar da programação com músicos, food trucks e iluminação especial com velas e tochas. Os primeiros 100 participantes que chegarem ao local ganham uma camiseta sustentável, feita de malha PET, com estampa que brilha no escuro. A entrada é gratuita. O Parque Malwee recebe mais de 100 mil visitantes por ano. São 1,5 milhão de metros quadrados de área verde, 16 lagoas, mais de 35 mil árvores plantadas entre espécies nativas e exóticas e uma fauna considerada acima da média, dada sua localização em um centro urbano.

E você, o que tem feito e o que pode fazer para diminuir os impactos ambientais e que interferem na vida de toda a população? Apagar as luzes pode ser um bom começo.

© WWF-Brasil/Edwin Tellez 2011
© WWF-Brasil/Edwin Tellez 2011

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*